Finitos

 

Tanto tempo decorrido

Ainda é tempo nenhum

Tanto saber adormecido

É da sabedoria jejum

 

Será tempo de acordar

Todo esse potencial

Que nos fará recordar

Todo o nada existencial

 

Que somos sem o saber

Mas que julgamos não ser

Por ver o universo restrito

 

Que alcança a compreensão

Não alcançamos a dimensão

Do nosso universo infinito.

publicado por poetazarolho às 23:07 | link do post | comentar