Imagina-te

 

Imaginação sem limites

Não consegue imaginar

Por vezes só dá palpites

Outras nem consegue dar

 

Não perguntem razões

Deste vazio imenso

Onde habitam alucinações

Num deambular intenso

 

Sei que existe fronteira

A separar hemisférios

Só não tenho a certeza

 

Quem da loucura se abeira

Ao deixar o reino dos sérios

Se imagina com clareza.

publicado por poetazarolho às 22:39 | link do post | comentar