Antros

Antros.jpg

Os bares estão cheios

Com vidas esvaziadas

Nas mãos copos meios

Almas meio encharcadas

 

São imunes aos receios

Das almas mais avisadas

Muito dadas a devaneios

Quais irmãs esquartejadas

 

Pelas lanças em torneios

Onde a vida não vale nada

Onde a rainha é a morte

 

Onde se tocam os seios

Não os da pessoa amada

Mas os que calham em sorte.

publicado por poetazarolho às 21:28 | link do post | comentar