Assombração

 

A mansão está assombrada

Anda tudo em alvoroço

Fantasma caiu da escada

Mas não partiu nenhum osso

 

Mordomo que é vampiro

Já chamou para o almoço

Princesa solta um suspiro

“Morde-me aqui no pescoço”

 

Lá fora a vida corre

Isenta de bruxaria

Sem qualquer assombração

 

Até de tédio se morre,

Mas como viver queria

Mudei-me para a mansão.

publicado por poetazarolho às 00:09 | link do post | comentar