De la Mancha

De la mancha.jpg

Dulcineia e Rocinante

Sancho Pança bem nutrido

Entram assim de rompante

Neste filme bem concebido

 

E o Miguel de Cervantes

Que pr’aqui não é chamado

Carrega bem nos semblantes

Deste guião alucinado

 

Os moínhos sem ter culpa

Foram mortos à paulada

Nesta brilhante encenação

 

E não serve de desculpa

Já não servirem p’ra nada

De la Mancha teve intenção.

publicado por poetazarolho às 23:40 | link do post