Estradas universais

Estradas universais.jpg

Vida em mim não manda

E a morte também não

Porque a minha alma anda

Nas asas de um furacão

 

O cérebro em debanda

Já não sente o coração

Horizonte numa ciranda

Não vislumbra a solução

 

Prá vida foi encontrada

Receita num entreposto

Nos confins do universo

 

Falta construir a estrada

Que nos levará ao suposto

Pote de ouro, neste verso.

 

publicado por poetazarolho às 11:07 | link do post | comentar