Humano de lata

 

Eu estou robotizado

Sou um humano de lata

Um mero assalariado

Todos me põem a pata

 

Sou do mais produtivo

Faço o trabalho de dez

Quando já não fôr activo

Dão-me logo com os pés

 

Sou uma lata reciclável

Viro um carro ou foguetão

No mundo novo admirável

 

Em constante mutação

Ser humano é execrável

Viva esta robotização.

publicado por poetazarolho às 22:44 | link do post