Ideias assassinadas

 

As ideias assassinadas

Deixam o mundo cinzento

Parece que foram cortadas

As raízes ao pensamento

 

Não há machado que corte

Disse um dia uma canção

Da canção chegou a morte

Não era mais que ilusão

 

Transformada em realidade

Como quem a alma retrata

Desta humanidade ao acaso

 

Com traços de genialidade

Tal qual pintura abstracta

De Miró, Dali ou Picasso.

publicado por poetazarolho às 00:13 | link do post