Loucos

 

Este mundo está louco

Mas o ser humano não

Loucura sabe a pouco

Que venha a alucinação

 

Por gritos acompanhada

Fruto de grande aflição

Dum cantar à desgarrada

Donde já não sai canção

 

Onde já não frutifica nada

Porque frutificou o engano

Numa sociedade alucinada

 

Erigida pelo ser humano

Desta forma desastrada

Com o estatuto d'insano.

publicado por poetazarolho às 00:15 | link do post