Mundo sem abrigo

 

O melhor do ser humano

É difícil de encontrar

Mas o pior ou me engano

Nem é preciso procurar

 

Está por cumprir o pão

Por cumprir a igualdade

Todos têm uma razão

P’ra não dobrar a vontade

 

Contentor é refeição

Assim se está a cumprir

Este mundo sem abrigo

 

Cumpre-se a desilusão

Deste mundo a evoluir

Além fronteiras do perigo.

publicado por poetazarolho às 23:43 | link do post