Navegando

 

Na paz podre navegamos

Ou em fraticidas batalhas

Meio termo não encontramos

Carregamos as cangalhas

 

Encontrar a harmonia

Será o limite perfeito

Duma natural hierarquia

Cimentada pelo respeito

 

Neste navegar atribulado

Mas de forma consciente

Procuramos alcançar

 

Um rumo equilibrado

P’ra de forma consistente

Navegarmos tanto mar.

publicado por poetazarolho às 19:14 | link do post | comentar