Ocasos

Ocasos.jpg

Hoje não há estrelas a brilhar!...
Ocaso de mentes brilhantes
Mas felizmente o luar
Ilumina as mentes distantes

Disponíveis p'ra regressar
Varrendo os insignificantes
Que teimam em se quedar
Como arautos redundantes

 

Como redundantes são
Os pensamentos moldados
Em inertes fundamentos

 

Novas estrelas formarão
Em ocasos renovados
Cintilantes firmamentos.

publicado por poetazarolho às 21:36 | link do post | comentar