Tempestade

 

Magnífica tempestade

Incontornável bonança

Compõem uma realidade

Que só pode ser esperança

 

As gaivotas sem vaidade

Rodopiam numa dança

Fazem-nos ver a verdade

Do presente que avança

 

Em direcção ao futuro

Conquistando a liberdade

Que ainda vai faltando

 

Será derrubado o muro

Que oprime a humanidade

E a seguir sairá voando.

publicado por poetazarolho às 00:07 | link do post | comentar