Varandas

Varandas.jpg

“Nas varandas do Dafundo…”

Deu-me forte sim senhor

Foi um balanço profundo

Desde o luar ao sol pôr

 

Acordei lá bem no fundo

Como se poderia supor

Depois parti para o mundo

Todo o que estava ao redor

 

Mas no mundo insuficiente

Fui ficando aprisionado

Sem uma fronteira definida

 

Descobri outro diferente

Onde não estou confinado

Pró qual estou de partida.

publicado por poetazarolho às 10:48 | link do post