Vozes

  

O céu impõe o limite

P’rá nossa actuação

O inferno não permite

Tanta boa intenção

 

Humanidade insiste

No caminho d’anulação

O homem não desiste

Desta antiga fixação

 

Luta em nome de tudo

Que possa causar dor

Impondo a destruição

 

Devia lutar sobretudo

Pela partilha e o amor

Dando voz ao coração.

publicado por poetazarolho às 22:01 | link do post